segunda-feira, 25 de março de 2019

Sexo tântrico: potencialize o prazer com essa técnica


Não há quem resista aos desejos e as luxúrias que apenas o sexo nos proporciona. E não é para menos: com a vida corrida que se tem e os stresses diários, um momento de prazer e de relaxamento é renovador para o corpo e para alma!
E para intensificar este momento, há inúmeras práticas sexuais que podem (e devem) ser exploradas sem qualquer restrição, como o sexo romântico, uma rapidinha, a descoberta do sado, entre outras várias possibilidades.
Com tantas opções fica até difícil escolher uma para conversar e descobrir um pouquinho mais… No entanto, que tal conhecer o sexo tântrico hoje? Nunca nem ouviu falar? Confira esse artigo e saiba como iniciar a prática do tantra.

Compreendendo as origens do sexo tântrico

O princípio do sexo tântrico é milenar, onde o mesmo tem suas raízes no tantra, de origem indiana. Esta filosofia acabou influenciando outras, tais como o hinduísmo e o budismo.
É necessário compreender que o tantra não remete à sexualidade, mas sim à expansão de energias ou conexões. A filosofia tântrica usa vários rituais para alcançar estas conexões, sendo um dos métodos, o ato sexual.

O que é o Sexo Tântrico?

Compreender as origens do sexo tântrico é fundamental para entender a sua prática. Deste modo, o sexo tântrico consiste na relação sexual onde duas pessoas se entregam inteiramente para fornecer prazer um ao outro. A grande diferença é que este tipo de sexo não visa chegar ao orgasmo de maneira rápida. Muito pelo contrário: trabalha com o orgasmo tardio, onde o casal fica horas e horas transando, chegando ao ápice da excitação, porém sem chegar ao orgasmo.
Assim, com um olhar simplista, o sexo tântrico é uma transa longa e demorada. Mas que em suma, refere-se a uma espécie de “ritual” dos tantras para expandir as suas conexões, bem como encontrar o “divino” no outro.

Quebrando resistências

Mesmo esclarecendo a sua definição e do que se trata, o sexo tântrico ainda reúne inúmeras resistências e tabus. Sabendo disto, tenha em mente os seguintes pontos:
1 – Não é só sexo: Apesar de haver uma classificação sexual, não é apenas o
sexo com penetração ou a retardação do orgasmo que conta. O sexo tântrico tem a filosofia de que todo o corpo é orgástico, de modo que pode-se chegar ao ápice apenas com a circulação das energias.

2 – Não é sexo grupal: Devido à falta de conhecimento das pessoas, há uma visão totalmente distante do que realmente é o sexo tântrico, ou seja, o sexo que envolve duas pessoas que se respeitam acima de tudo e que querem elevar o seu desejo sexual.
3 – É livre para todos: Não é necessário ser tantra ou oriental para experimentar o sexo tântrico. Todos podem praticar e conhecer um pouco mais sobre, sem qualquer distinção de credo, cultura ou idade.

4 – Não é religião: O tantra não é uma religião, é apenas uma filosofia de vida que busca encontrar a consciência, descoberta e iluminação por meio do corpo.

Dicas para iniciar a prática do sexo tântrico

O que realmente queremos, é saber como de fato iniciar a praticar o sexo tântrico, não é mesmo? E já está na hora de passar algumas dicas para que você também se delicie com esta experiência!
A seguir, confira algumas dicas importantes para conhecer melhor o sexo tântrico!
1 – Respiração: O primeiro passo para iniciar a prática do sexo tântrico é trabalhar a respiração, de modo que está se torne circular e efetiva. Assim, trabalhe sua respiração para que a mesma quantidade de ar que for aspirada, seja expirada. Busque treinar sua respiração com seu parceiro, de forma que entrem em sintonia.
2 – Pompoarismo: Treinar o pompoarismo irá contribuir com os exercícios de respiração, bem como possibilitará fortalecer a musculatura do assoalho pélvico. Como o sexo tântrico dura mais tempo, o pompoar trabalha a parte de relaxamento e fortalecimento dos músculos do assolho pélvico, intensificando a irrigação sanguínea no local.
3 – Olho no olho: Pode até parecer bobo, mas há quem evite a todo custo o contato visual durante o sexo. Pois bem, pratique esta técnica a fim aproximar você do seu parceiro. Crie uma relação mais íntima e confortável entre vocês, apenas com o olhar.
4 – Pratique a massagem: O sexo tantra também contempla a massagem como uma maneira de atingir e oferecer prazer. Sendo assim, experimente massajar seu parceiro, notando e conversando sobre quais movimentos mais excitaram e foram mais prazerosos. E claro, receba a massagem também! Afinal, sexo tântrico é troca de energias.
5 – Observe os corpos: Você já notou como são harmoniosos os movimentos dos corpos? O quanto é sensual e único, de forma que a vontade e o desejo apenas aumenta? Se nunca parou para admirar este momento, experimente essa sensação única e deixe qualquer julgamento de lado. Apenas desfrute da intimidade, de maneira que ao observar os movimentos, acompanhe também a reacção do seu parceiro. A sintonia irá falar mais alto! Vale treinar com os corpos despidos ou com uma lingerie sensual.
6 – Segure o orgasmo: Parece até impossível, mas não é! E garantimos que a sensação que fica é ainda mais prazerosa que o orgasmo. Esta prática intensifica e eleva o clímax, ou seja, você pode desfrutar da excitação máxima, porém sem perder as energias e ainda com um plus: quando finalmente quiser desfrutar do mesmo, será muito mais intenso do que antes. A técnica consiste em excitar-se ao ponto do orgasmo, mas quando estiver para acontecer, recue e comece tudo de novo. Pode-se treinar durante a masturbação.
7 – Descubra a posição Yab Yum: E é claro que não poderia ficar de fora a posição que caracteriza o sexo tântrico. A posição Yab Yum é muito utilizada, pois alinha as energias dos parceiros, de modo que as conexões sejam mais fortes e intensas. Para você ficar familiarizada: a posição consiste em que seu parceiro sente-se no chão com as pernas cruzadas – posição de meditação – enquanto você senta por cima das pernas do seu parceiro, encaixando-se e envolvendo suas pernas em torno de seu corpo. Feito isso, é só aproveitar!